quarta-feira, 9 de maio de 2012

OS RITUAIS

A definição do dicionário nos diz: Ritual, adj m+f (lat rituale) 1 Pertencente ou relativo aos ritos. 2 Que contém os ritos. sm 1 Livro que contém os ritos, ou a forma das cerimônias de uma religião. 2 Cerimonial. 3 Conjunto das regras a observar; etiqueta, praxe, protocolo. Frente à tal diversidade, evidenciamos, logo, que ritual não está apenas ligado à religião ou formas de expressão religiosa. Um ritual acontece em concomitância de sujeitos, tempo e espaço. Necessita também de objetivos, procedimentos, técnicas, instrumentos, objetos.

Rituais desde sempre fazem parte da natureza humana. Quando nos referimos a leitura de cartas, percebemos o quanto é forte a menção dos rituais. Um ambiente adequado, velas, incenso, preces e etc. Respeitável, visto que a história do Tarô nos conduz aos antigos espaços sagrados, onde o conhecimento era acessível apenas aos eleitos, que eram poucos.

Existem muitos propósitos por trás dos rituais, mas aqui me limito a falar dos atos que praticamos e, que antecede a leitura das cartas. O ritual é um processo externo para um alinhamento interno em direção a um intento. Uma sucessão de atos com a finalidade de ritmar nossas intenções. Tirar a mente das distrações e conduzi-la a um caminho, neste caso, a leitura. E isso é algo que pode e deve ser praticado em tudo. A capacidade de estarmos presentes e inteiros no que fazemos, no aqui e agora.

No entanto, tem muita gente que não se identifica com a prática dos rituais. Se este for o seu caso, não precisa se preocupar, isso não o impedirá de ler as cartas. Se souber o que está fazendo, praticar um ritual ou não antes da leitura, não fará diferença. Os rituais não abrem portas mágicas em direção a revelação. Eles em si, não são capazes de abrir porta alguma, que queira se manter fechada. E a porta mais importante a ser aberta é aquela em direção a você. Que permita refinar os sentidos e se abrir as percepções do mundo sutil.

Existe muito misticismo envolvendo os rituais, creio que é importante identificar o ritual que se propõe ao alinhamento interno e o ritual cenário; que é aquela coisa de preparar o ambiente para criar a atmosfera, e que vemos muito nos filmes. Por isso se você não souber o que está fazendo, estará brincando de teatro.

Clareza de idéias, conhecimento e intuição é o que precisa para trilhar o rumo certo. E quando falo intuição não me refiro a ajuda do astral superior, através de um mentor ou guia, é simplesmente conectar-se com a mente intuitiva. Você e o mundo sutil. O Universo das sensações que coexiste e interage conosco, mesmo que não se perceba. Para quem recebeu a incumbência de transmitir informações através da ajuda espiritual não tem necessidade de instrumentos (tarô, folhas de chá, borra do café, mãos etc), se bem que os use para alinhar as informações que serão reveladas.

Não há uma cartilha definitiva; não há um meio certo ou errado. Existe apenas o seu jeito, aquele que você sente que é o melhor para você. O foco é acalmar a mente e o espírito, e isso se você quiser pode ser realizado com uma simples prática de respiração. Caso queira pode seguir os conselhos de um livro, para dar os primeiros passos. Depois, simplesmente, você vai encontrar o seu jeito de fazer as coisas.

Nenhum comentário: